Archive for category: Article


3 Benefícios do Surf

3 Benefícios do Surf

🧠 Promove a saúde mental 🧠

O surf contribui para o bem estar psicológico, pois ajuda a lidar com o stress, pressão, aumenta a tua confiança e ajuda-te a conhecer pessoas novas.

 

❤️ Melhora a saúde cardiovascular ❤️

É uma das modalidades mais completas, pois exige o esforço de quase todos os músculos, ossos e tendões. Além disso, a diminuição da temperatura corporal obriga a um maior gasto energético para que te mantenhas quente.

 

🏄‍♀️ Melhora o equilíbrio e coordenação motora 🏄‍♀️

Colocares-te de pé na prancha exige muito equilíbrio e força para conseguires combater contra a força das ondas e o seu movimento constante. Tens ainda que pensar e realizar diferentes movimentos em simultâneo e coordenar as diferentes partes do corpo

 

Gostavas de experimentar?

Envia mensagem para saberes mais sobre as nossas aulas!! 📩  📩

Como ler uma onda – lição 3

Como ler uma onda?

A capacidade de ler uma onda adquire-se principalmente com horas do mar, com treino! Mas há algumas coisas que podes ter em conta para ler uma. 😉
🌊 3 dicas a ter em conta para ler uma onda:
🔹Analisem o mar e as ondas e tentem encontrar padrões, repetições semelhantes. Observem ao vivo, de fora de água, debaixo de água com óculos de mergulho, fotografem, usem um drone para ver de cima ou aproveitem praias como a Ericeira, Santa Cruz, Consolação que nos permitem olhar as praias de cima;
🔹Tentem aplicar estas zonas em diferentes ondas, mais ou menos perfeitas, para a direita e para a esquerda;
🔹Sintam as diferentes energias das ondas apenas em bodysurf, sem qualquer adereço ou com uns pés de pato apenas. É um dos exercícios que fazemos com regularidade na Good Surf Good Love Surf Academy.

Erros de Surfista Principiante

Erros de Surfista Principiante

1️⃣   Misturar lazer social com a verdadeira vontade de aprender a fazer Surf. 

💎   No Surf fazem-se amigos para a vida. Facto!

No entanto, há que ter em consideração qual o verdadeiro objetivo que queremos do Surf. Que tipo de surfista queremos ser. Durante alguns anos eu cometi o erro de ir com pessoas que surfavam muito mais do que eu, por isso acabava num pico que não me proporcionava evolução, apesar de ser ótimo ir com surfistas melhores que nós, porque acabam por puxar pelo nosso nível. Mas se o nível for completamente desfazado, só nos atrasa!

Hoje em dia, costumo surfar muitas vezes com surfistas menos habilidosos que eu, então, acabo por não ver evolução no meu surf. Apesar que a nossa evolução não depende disso, mas ajuda!

Então amigos amigos, ondas à parte.

Uma coisa é uma experiência, outra coisa é querer ser praticante de Surf ou mesmo surfista. Se a tua ambição é vir a ser praticante regular, escolhe a tua companhia das sessões de surf e ou a escola pela formação dos Treinadores e pela sua organização em geral.

Os amigos, a diversão e o lazer estão naturalmente inerentes!

Surf é das melhores coisas que podemos fazer na vida, sem dúvida nenhuma! Investe de forma sábia! 😉

 

2️⃣   Usar a prancha errada para o seu nível!

💸   Não apresses a troca de pranchas, para pranchas mais pequenas e muito menos para as pranchas de “plástico”, que nem são de escola nem de aprendizagem, e na nossa opinião, nem de evolução.

Explora todos os tamanhos de softboards da tua escola, e só depois, adquire a tua própria prancha de fibra já com alguma performance.  

3️⃣   Surfar no local/spot/pico/lineup errado para o seu nível!

😉   Já abordámos este assunto anteriormente, noutros posts. Não há razão nenhuma para quereres surfar nos melhores picos da praia, se o teu Surf também ainda não é o melhor da praia. Esses locais, conquistam-se com muita luta, resiliência, investimento e dedicação. 

Dessa forma, um dia serás bem vindo nesses picos/lineups/spots ou locais/ zona de surf. 😜👌

Como saber que é hora de deixar a espuma e ir para as ondas?

Como saber que é hora de deixar a espuma e ir para as ondas?

Depende das habilidades adquiridas, do controlo da prancha, da educação de mar, e do saber estar, sem importunar o lazer dos outros.

Na Good Surf Good Love, damos uma relevância muito grande ao permanente controlo da prancha.

Mas não é só. Tudo se analisa em dados e são estes dados que costumamos usar para definir níveis de habilidade: controlo motor, força e resistência específica, mobilidade e conhecimento de si próprio e do mar.

Se é que se pode fazer alguma regra, em resposta a esta questão, podes começar a ir para o outside e deixar a espuma, se já adquiriste, de forma consistente as seguintes habilidades:

  1. Pões e ficas de pé com sucesso e conservas o equilíbrio, ao correr a espuma até à praia, em mais de 80% das tuas ondas.
  2. És capaz de manter a tua prancha controlada (debaixo das tuas mãos, debaixo do braço, debaixo da barriga ou nos teus pés), mais de 80% do tempo e mostras intenção de melhorar esse controlo.
  3. Sabes identificar uma direita e uma esquerda.
  4. Consegues conduzir a tua prancha para a esquerda ou para a direita, por decisão tua.
  5. Consegues correr as espumas para a direita e para a esquerda, até à praia.
  6. Sabes sair/descer da prancha com controlo, sem perder a prancha.
  7. Consegues dividir a tua atenção entre o controlo das tuas habilidades, e tudo o resto que se passa à tua volta, de forma a não colocares ninguém em risco de colisão.
  8. Compreendes minimamente como a zona de surf se organiza, de forma a saberes por onde poderás ir até ao outside, sem prejudicares as corridas dos surfistas, e sem te colocares em risco, a ti ou aos outros praticantes.
  9. Sabendo nós que o risco está sempre associado, tens noção por onde o podes/deves minimizar.
  10. Se nas tuas sessões de espuma não apanhas ainda pelo menos umas 20 ondas e tens sucesso em mais de 16, então continua a praticar nestes 2 aspectos, até seres consistente, pois no lineup, tens de “disputar” ondas e fazer por merecê-las. Se falhas muitas ondas, não vais ser respeitado num dias de ondas boas pelos verdadeiros surfistas. Além disso, nunca é demais repetir, vais estar a colocar-te a ti e aos outros praticantes e surfistas em risco!

Considera as seguintes notas:

NOTA 1:  Quando referimos que já adquiriste determinada habilidade, queremos dizer que tens sucesso nas referidas tarefas, mais de 80% das vezes. Ou seja, em cada 10 tentativas, és bem sucedido em 8. Lembra-te também que estas são as habilidades que já dominas nas espumas! Se ainda não as dominas, não vale ainda a pena ires aventurar-te no lineup, ou na zona dos surfistas.

NOTA 2: A primeira vez que vais até ao lineup, deve ser num dia de mar muito pequeno e, numa zona com poucas pessoas.

NOTA 3: Quando falamos em colocar alguém em risco, falamos da sua integridade física, do seu equipamento e da sua disposição, que é tão importante como um corte na cara ou um ding na prancha.

NOTA 4: O ideal é que esta progressão seja acompanhada e monitorizada por um profissional qualificados. (mais uma matéria absolutamente polémica e extensa para abordarmos em breve 😅)

Umas das regras que deveria gerir os linups hoje em dia é a regra dos mestres havaianos, que simplesmente consideravam vergonhoso alguém interferir na onda de outro surfista.

Acerca desta matéria, há muito mais que falar:

Prioridades, localismos, quem deve estar onde, e que comportamento ter, sabendo nós que a nova era do surf, implementou também novas formas de estar que noutros tempos não eram aceites, e ainda hoje, não o são, pelos surfistas do tempo dos linups vazios. Mais uma daquelas matéria que gostava de muito de debater!😬😉

Escala de Borg

Como medir a intensidade do treino: relação entre Frequência Cardíaca e Treino

Desempenho desportivo, melhorar a condição física geral, controlar o peso, ou desenvolver a condição física específica para o surf. Se tens um destes objetivos, é importante monitorizar a Frequência Cardíaca durante o treino. 😉

🔹 O controlo e monitorização da Frequência Cardíaca (FC) é uma excelente ferramenta, para gerir de forma mais precisa os intervalos de intensidade de treino.

🔹 Mesmo sem um cardiofrequencímetro, é relativamente fácil fazer esta mesma monitorização, ainda que de forma menos precisa. Para fazer esta monitorização podes usar a Escala de Borg.

O que é Escala de Borg?

A Escala de Borg, ou Tabela de Borg, do fisiologista sueco Gunnar Borg, é lista de sensações, que permitem classificar de forma subjetiva o esforço de um indivíduo.

🔹 A Percepção Subjectiva do Esforço (PSE) é um método válido na monitorização da intensidade no treino cardiovascular.

🔹 A fiabilidade na classificação da intensidade no treino de força, tem margem de erro. No entanto, é uma boa ferramenta.

Como te pode ajudar?

Ao usares a tabela, também podes transferir as sensações que tens nas tuas sessões de Surf. Depois tenta caracterizar o teu esforço, por exemplo durante a remada para o pico, quando terminas de correr a onda, ou quando remas de forma mais vigorosa para apanhar a onda.

Se identificares as sensações, vais conseguir perceber que tipo de intensidade estás a usar. Ao perceberes as áreas de intensidade, vais ter informação sobre que intensidades podes treinar em terra, quando não o podes fazer no mar.

Caso tenhas um cardiofrequencímetro ou não, já podes treinar de forma mais assertiva.

Para obteres mais informação, consulta também este artigo, onde encontras mais uma ferramenta, para mensurares a tua FC de treino.

Preenches com os teus dados: Idade e Frequência Cardíaca de Repouso e a ferramenta irá dar-te automaticamente as tuas Frequências Cardíacas de treino, para diferentes intervalos de intensidade. Dependendo dos teus objetivos, já podes monitorizar o teu intervalo de treino de FC. 🤩

Posição Base do Surf

😉 Hoje oferecemo-vos uma descrição detalhada da posição base do Surf que consideramos que é a melhor abordagem, para a formação inicial de qualquer pessoa.

Esta abordagem tem por base 22 anos de experiência coleccionada, muitos cursos tirados, uns académicos outros de umas horas ou fins de semana, muitas questões colocadas a outros profissionais da área, para quem olho com admiração (infelizmente na área do Surf são pouco que merecem este mérito, mas muitos outros da área desportiva completam o leque de imensos bons profissionais, estudiosos e cientistas do desporto), mais de 20 mil alunos ensinados, nem sempre com este método, e que vamos aperfeiçoando sempre que consideramos que algo de diferente resulta melhor.

Mas o mais importante, é que todo o nosso método está fundamentado. Qualquer pessoa, cliente ou profissional, pode e deve contestar, questionar, desde que possa depois refutar ou fundamentar também. “Porque toda a gente faz assim”, “porque eu faço assim”, “porque eu aprendi assim” “porque me ensinaram assim”, não são justificações válidas.

Por favor, justifiquem-se com base e no conhecimento da Biomecânica e Anatomia, e depois noutra fase, Mecânica de Fluídos e Leis da Física, Fenómenos Ondulatórios, e por aí fora… 😀


Na Good Surf Good Love, discordamos em absoluto com a típica posição “de tiro ao arco”🏹, que se vê constantemente ser ensinada pelas praias de todo o mundo, todos os dias, por todo o tipo de monitores, instrutores, treinadores, professores (não, não é tudo a mesma coisa…). 😬

Deixem-me perguntar-vos, a quem assim aprendeu, quantos de vós têm consistência nas primeiras manobras de viragem (na base ou no topo), especialmente quando esta viragem é feita no sentido das nossas costas – Backside??��❓Já se questionaram se a posição não é demasiado rígida e em stress, e se estão de costas voltadas para o lado para onde é mais difícil fazer as primeiras manobras, com que olhos é que vão conseguir ver a onda❓ 😬hihihihi
A posição naturalmente lateralizada, até podemos aceitar, mas o excesso de flexão das pernas e a atitude ninja orgulhosamente expressada, é que não mesmo!!

😉 Calma “ninjas”! Este é só o nosso Método e cada um pode ter o seu. 😜

Se a média da consistência de ficar de pé, cada vez que apanhas uma onda, não está acima dos 80%, depois da tua 2ª sessão de Surf, então devias experimentar o nosso método!

👉 Partilha esta informação com algum dos teus amigos “ninjas”, se achares que ele precisa de saber disto urgentemente! 😉🙏

A pirâmide do respeito

A pirâmide do respeito do Método Good Surf Good Love, tem uma leitura muito particular.
🧠  Consciente de que muitos não a vão entender, mesmo assim insistimos em dar-vos uma visão que poderá mudar a forma de verem, sentirem e explorarem o Surf.
O verdadeiro e mais puro prazer de fazer Surf, vem do pleno controlo de deslizar sem esforço, no sítio onde a onda gera toda a energia (para que possamos esquecer-nos da prancha, como se dos nossos sapatos usados se tratasse).
😉  Bem sabemos que só o ir à praia, encher o peito daquele ar de mar, mergulhar no mar gelado, deitar na toalha quente, andar no vai e vem das ondas ou estar no mar a tentar a apanhar umas ondas e mesmo que não se apanhe nada,… Bem, sabemos que mesmo assim, todos os que amam a praia e o mar, sentem uma espécie de equilíbrio e harmonia, concordam?
Mas é tempo de vos explicar a magia 🧪, mais para lá de todas essas maneiras de usufruir desta Natureza ora calma, ora bruta, mas sempre inconstante.
A verdadeira intoxicação holística da terapia do Surf vem quando existe uma clara realidade do que é o Surf, e quando conseguimos perfeitamente ajustar as nossas expectativas às nossas verdadeiras capacidades e habilidades individuais.
É por isso que, frequentemente, ensinamos esta abordagem aos nossos alunos, especialmente aqueles que há muito procuram, numa luta desigual, por esse sentimento embriagado.
Tudo recomeça em direção a um mundo novo “depois do Surf” por terem na base da pirâmide do respeito o seu “EU”.
Quando temos esse “Eu” na base da Pirâmide do Respeito da Good Surf Good Love, então descobrimos que há lugar para todos coexistirem e usufruírem poeticamente das suas ondas sempre, sempre, sempre sem perturbar o Surf e o bem estar dos outros, que também precisam sempre de mais uma dose de mar.
Queres conhecer a Good Surf Good Love Surf Academy e preencher o resto da pirâmide? Contacta-nos.
Desenha a tua pirâmide e partilha connosco! 🤓

Share a Wave!

Share a Wave!

🙄  Já alguma vez te sentiste desenquadrado no local que escolheste para apanhar as tuas ondas?

👩‍🚀  A razão desse desconforto poderá estar na base da tua aprendizagem, ou no teu saber estar – comportamento!

ℹ️  O que aqui vos informo hoje é uma de muitas formas de ver as coisas mas, na filosofia de ensino da Good Surf Good Love, a mais correta.

A CULTURA ORIGINAL 

Caros aspirantes, praticantes, novos surfistas…NINGUÉM que é realmente surfista quer partilhar ondas convosco!

Partilhar uma onda é algo muito especial que se faz num dia épico entre amigos de muitas surfadas, de quem se conhece muito bem o desempenho no surf, independente de terem ou não níveis superiores.

Um surfista utiliza a onda em toda a sua dimensão tempo e espaço! Vai lá bem à frente, a acelerar adivinhando um segmento dessa onda, para manobrar numa placa que adivinha ir cair mas depressa poderá querer voltar atrás, se a onda se mantiver disponível/aberta para mais surf.

A NOVA CULTURA

⛔️  Normalmente o que vemos na praia, hoje em dia, numa cultura muito “new school”, é uma brincadeira muito desagradável de partilhar ambos a mesma onda, feita por pessoas que provavelmente terão pouca experiência para compreender que:

1️⃣ As ondas não se partilham. É uma regra básica de segurança e de ética: UM POR ONDA, ponto!

2️⃣ Um surfista razoável não surfa só para a frente (quer interpretes isso como surfar em linha reta direito à praia ou como correr uma onda a direito, sem nunca realizar um cut back à procura do pocket da onda). Por isso, pensares que um pode ir à frente, ao lado ou atrás, não nos faz sentido nenhum!

3️⃣ O mar de facto é de todos mas as ondas não. Quem as apanhou primeiro, não, não tem de as partilhar.

Uma nota importante a reter!

😤  Cada vez que entrares na onda de outra pessoa, mesmo que a conheças, fica por favor com a noção que, podes estar a colocar a pessoa ou o seu equipamento em risco de acidente, ou nada menos importante vais perturbar o seu lazer e boa disposição. 🤬

Comportamento Adequado:

🙏  Se queres uma maneira excepcional de partilhar uma onda, espreita a imagem! Não há nada mais especial do que apanhar altas ondas com um ou dois amigos, partilhando esses momentos na memória de todos! 🙌

Neste formato sugerido e por favor, em nenhum outro: “Share a Wave”! 👌

Como evitar lesões ou outros riscos no surf

Além de acidentes e lesões, há que evitar, com os mesmos comportamentos, disturbar a boa disposição de todos na praia – o nosso principal lema.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🥇  E tudo começa pelos comportamentos, que não podem em momento nenhum ser de risco.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Por favor, pratica este hábitos:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚦  1. Não vás para um pico onde não vês ondas a passar sem nenhum surfista, Está lotação esgotada!
Não há lá lugar para mais um. Este ponto, se era uma grande ajuda antes de COVID, imaginem agora. Se todos tivéssemos sido educados assim, tudo seria mais fácil agora mas no Surf existem muitos egos gigantes, combinados com mentes anoréxicas… 😁   Glup, dito!
Existem linups mais difíceis de analisar, mas num pico, onde as ondas quebram de forma triangular, é muito fácil observar este facto.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚦  2. Mantêm a tua prancha permanentemente controlada.
Tenhas que nível tiveres, não tens desculpa para não manteres a tua prancha constantemente controlada. Repito, independentemente do teu nível.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚦  3. Alguns picos não são para ti, ainda. Aprende a surfar melhor e investe mais tempo no Mar.
Ganha mais experiências no surf pois alguns spots (locais de surf) exigem muitas horas de voo! Muitos já fizeram mais horas de mar do que o resto da tua vida te irá permitir, mesmo que fiques de “férias de COVID” 🤨  mais um ano, e possas ir ao mar todos os dias, não somarás as horas de quem vive na praia e começou de pequenino/a. ⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚦  4. Onde quer que escolhas surfar, imagina-te permanentemente sem cordinha (leash ou shop). Verifica se consegues voltar sem entrar em pânico, caso percas a prancha e se não andas constantemente a largar a prancha, seja porque está grande demais para ti, seja porque não tens ainda habilidade para o fazer. 🤕
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚦  5. Não incomodes os outros, sejam eles veraneantes, outros surfistas bons, outros surfistas a aprender – E aqui não digo mais nada 😋. O que diria neste ponto, já o disse no primeiro.

Regular ou Goofy?

Regular ou Goofy? 🤔

Já descrevemos anteriormente como consideramos ser a melhor posição base, a ter como referência para a aprendizagem inicial do Surf.
🤩  Mas também é importante referir que há pessoas que se sentem mais conforto e equilíbrio ao colocar o pé direito à frente – GOOFY.
🤩  Outras que sentem maior estabilidade com o pé esquerdo à frente na prancha de Surf – REGULAR.
Para muitos na área, esta decisão é tomada considerando o pé de chamada, ou o pé mais forte, por exemplo o pé que chuta na bola, sendo que este deveria ser o pé de trás ou, também há muito o hábito de empurrar a pessoa para ver qual o pé que avança, sendo que este devia ser o da frente.
🦶 Então resume-se commumente que o pé mais forte é o de trás na prancha ou que o pé que trava quando empurramos uma pessoa, é o da frente.
Na Good Surf Good Love, não usamos nenhum destes métodos pois, sabemos que existe uma percentagem bem grande de surfistas goofy, surfistas que usam o pé esquerdo atrás e que fazem todos os outros desportos com o pé direito, às vezes, até mesmo o snowboarding ou o skateboarding. 😉
➡️ Já agora, sabiam que a expressão de “Goofy” vem bem lá de trás de 1937, quando a Walt Disney, lançou um desenho animado do Pateta – Goofy – a fazer surf com o pé direito à frente na sua prancha? O filme chamava-se “Hawaiian Holiday”, procurem no YouTube.
⚠️  Atenção que este termo não quer dizer que quem faz surf com o pé direito à frente não vá ser um bom surfista. Espreitem a média de surfistas Goofyes e Regulares do campeonato da 1ª liga mundial para ver que estão quase a meio as percentagens.
Por isso, é importante que, no caso dos adultos, se respeitem os programas mecânicos que o corpo trás de outras práticas, sem nunca o contrariar, procurando maior conforto numa das posições; no caso das crianças, se tiverem menos de 6 anos, será natural que subam de ambas as formas, pois estão na fase ótima de aprendizagem psicomotora. Nesta fase, os pequenos são uma esponja! Por nós, não gostamos muito de contrariar este brincar com as suas habilidades, mas é habitual sermos “forçados” a uma especialização precoce, mais por impaciências dos pais ou reparo das crianças entre si, do que por nossa vontade. 😅
A partir dos 6 anos, é comum que também já tenham esta base definida para um dos lados. Aí sim, está na altura de fazermos correções, como por exemplo começar a insistir que se levantem da prancha da forma que consideramos técnica e biomecânicamente mais funcional – sem saltinhos, sem dedinhos dos pés apoiados, sem cansativas flexões de braços, etc…. eheheh mais matéria para um próximo post!
E tu? És Regular ou Goofy? 🤔
👌 Mas se quiseres saber mais, já sabes, estamos pela praia à tua espera! 😜